Brasil Tri-Campeão Mundial

7 de abril de 2009

Mais 5 times que estão na lista de “a fazer pra mim” são as 5 Seleções Brasileiras campeãs mundiais. Eu ia juntar todas em um único post, mas resolvi separar primeiro as 3 primeiras e depois as outras 2. As 3 primeiras eram representantes fiéis do futebol brasileiro, com jogadores atuantes no país. A de 94 era uma seleção ainda com jogadores com “espírito” brasileiro, mas com um técnico covarde, fã do estilo europeu, que sempre armou equipes amarradas, pra quem 2×0 é goleada, exibicionismo. A de 2002 foi uma puta seleção, jogou muito na copa, mas já repleta de “estrangeiros”, que jogavam quando queriam, mas quando não queriam, também, era como hoje. Não tiro o mérito de nenhuma delas, mas representam fases muito distintas do futebol brasileiro.


Seleção Brasileira de 1958
A taça do mundo é nossa!
Com brasileiro, não há quem possa…


Clique para ampliar
Arquivo para impressão »

O Brasil chegou à Suécia desacreditado, tanto por brasileiros, quanto por europeus. Do lado de lá, por não conhecerem suficientemente jogadores e o trabalho que a comissão técnica vinha desenvolvendo depois que João Havelange assumiu a presidência da CBD. Do lado de cá, pelo velho medo do brasileiro de ver repetidos fracassos e traumas anteriores (medo esse, infundado, que causou as mudanças no nosso futebol após a copa de 1982), no caso, os fracassos nos mundiais de 50 e 54 e na Copa Sul Americana de 57.

Só que uma seleção com Pelé, Didi, Vavá, Garrincha e tantos outros não poderia, NUNCA, ser menosprezada. Deu no que deu! O 5×2 na final contra a forte seleção da Suécia foi o fecho de ouro para a Copa e o sinal de que a partir dali estava começando a soberania, que dura até hoje (apesar dos pesares) do País do Futebol ;-)

Esse time de botão vem com a camisa utilizada no jogo final e escalado com os jogadores que disputaram o jogo final. Na reserva os outros 2 que mais atuaram durante o torneio.


Seleção Brasileira de 1962
O Bi com show de Garrincha


Clique para ampliar
Arquivo para impressão »

Dessa vez a Seleção Brasileira já era uma equipe a ser temida, Garrincha e Pelé já eram os caras a serem “anulados”, apesar das críticas pelo Brasil estar levando jogadores “velhos”, “cansados”. A média de idade da seleção era de 30 anos.

No segundo jogo o grande susto, Pelé machucado e fora do mundial. Só que Garrincha chamou a responsabilidade pra ele, fez e aconteceu e foi o nome do torneio. O CARA! O Brasil mostrou que era, sim, o dono da bola, e da taça.

Com praticamente o mesmo time que vencera a copa de 58, esse time de botão, como sempre, vem com o uniforme e a escalação da final. Na reserva, Pelé, não poderia faltar e o outro que mais atuou durante o torneio.


Seleção Brasileira de 1970
A conquista definitiva da Jules Rimet


Clique para ampliar
Arquivo para impressão »

Depois do fiasco de 66, mais uma vez a Seleção chegou desacreditada à copa. Troca de técnico na última hora, Tostão “cego”, Pelé “velho”. Era o velho medo do fracasso aparecendo novamente. Era mais fácil (sempre foi) para o brasileiro dizer que não conseguiríamos, do que acreditar e depois se decepcionar. Mas essa foi a mais sensacional das conquistas do Brasil até então. A Seleção foi 100%, perfeita, levou os mexicanos ao delírio. A taça do mundo, a Jules Rimet, agora era definitivamente nossa. Ninguém, no mundo inteiro, ousava negar a superioridade do Brasil.

Essa equipe é A Equipe de todos os tempos e está representada nos botões com ídolos que fizeram parte da minha infância. Cresci ouvindo os nomes desses caras, OS Caras, sabendo que eles eram sinônimo de futebol, de bom futebol. Mal sabia o que era uma bola, mas já sabia que existia um Tostão, um Fontana, um Everaldo, um Félix, um Brito, um Carlos Alberto, um Piazza, um Rivelino, um Jairzinho, um Clodoaldo, um Gérson e, claro, um Pelé.

Essas 3 vão sair juntas, num futuro próximo, espero!

Deixe um comentário


Marcadores

1930 1934 1938 1942 1943 1944 1953 1954 1955 1958 1961 1962 1963 1966 1970 1974 1976 1980 1981 1982 1983 1987 2008 2009 Ajax Alemanha Argentina Argélia Arsenal Atlético Madrid Atlético Mineiro Atlético Paranaense Austrália Bahia Bangú Barcelona Bayern Boca Jr. Bola Quadrada Botafogo Botões Bragantino Brasil Brasiliense Brasiliense 2009 Brasília Camarões Campeões Brasileiros Campeões Candangos Campeões mundiais Campineira Ceará Ceilândia CEUB CFZ-DF CFZ/DF Chile Coenge Colo-Colo Colombo Copa 2010 Coritiba Coréia do Norte Coréia do Sul Cosmos Costa do Marfim Criciúma Cruzeiro Cruzeiro do Sul CSKA Defelê Dinamarca Equipes inesquecíveis Escudos Eslovária Eslovênia Espanha Esperança Estados Unidos F-Arte Fenerbahce Fiasco FIFA Figueirense Fiorentina Flamengo Fluminense França Futebol Gama Gana Goleiros Grécia Grêmio Grêmio Brasiliense Grêmio futmesa Guará Hertha Berlin Holanda Honduras Hungria Ibis Inglaterra Interestadual Internacional Internazionale Ipatinga Itália Japão Jogões Juventus Legião Libertadores Malutron Manto Sagrado Mengão 81 Mesas Milan México Nigéria Nova Zelândia Novorizontino Obina Palmeiras Paraguai Paraná Payssandu Periquito Piloto Pioneira Ponte Preta Portugal PSV Rabello Real Madrid River Plate Roma Sampaio Correa Santos Schalke 04 Seleção Seleção Brasileira Senta a Púa Serviço Gráfico Sobradinho Sporting Suíça São Caetano Sérvia Taguatinga Tiradentes Torneio Dadinho Torneio do Terraço Traves UEFA Uruguai Usinagem Valência Vasco vidrilha Vidrilhas Vila Nova Volta Redonda Werder Bremen Zamorim F.B. África do Sul

Parceiros

eXTReMe Tracker