Eu e meus Flamengos

12 de agosto de 2010

Como Rubro-Negro fanático que sou, não poderia deixar de confeccionar times do Mengão em série ;-)

Este aí em cima é mais um para minha coleção de vidrilhas, mais um da série Mantos Sagrados. A arte eu fiz para um possível novo time para jogar 3 toques na AABB, mais um em acrílico que ainda não saiu.

Outro que saiu em vidrilhas, foi o Flamengo campeão brasileiro de 2009. Os escudos já haviam sido publicados e agora atualizei o texto com a foto do time.

Novo Manto Sagrado em vidrilhas

16 de março de 2010


Clique para ampliar

Depois de várias tentativas de encomenda, com diferentes artistas, finalmente consegui o meu time dos sonhos, o Manto Sagrado, a seleção de todos os tempos do Mengão com as “carinhas” dos jogadores. Um trabalho primoroso do Vitor Sanches, do VS Botonismo. Passei pra ele a escalação e disse que queria escudinhos com os rostos dos jogadores todos parecendo fotografias antigas, envelhecidas, de modo a dar um ar antigo aos escudos e ainda uniformidade entre fotos de jogadores tão antigos quanto Domingos da Guia e recentes quanto o Pet. Depois de algumas trocas de e-mails, ajustes aqui e ali, recebi o meu time dos sonhos. Os escudinhos ficaram fantásticos, exatamente como eu tinha imaginado.

Originalmente o time sairia direto em acrílico, mas como estou realmente sem tempo para isso, não consegui me segurar e tive que produzir já a primeira versão em vidrilhas. Agora, só preciso encontrar um adversário a altura ;-)

Enquete para as 2 últimas vagas

14 de julho de 2009

O Novo Manto Sagrado finalmente chegou em sua formação definitiva:

Goleiros: 1 – Cantarele; Raul e Juninho (???). Cantarele (no meio na foto) é o goleiro para os jogos comemorativos e amistosos. Raul (à direita na foto) é o goleiro oficial para competições. Mas Juninho (à esquerda na foto) é o goleiro preferido para jogos importantes, contratado diretamente do Gama-DF de 2007, barrou o milésimo gol de Romário e por isso recebeu a honra de jogar nesse timaço ;-)

Defesa – diâmetro 60mm, altura 6mm, bainha 15º: 2 – Leandro; 3 – Domingos da Guia; 4 – Rondinelli; 5 – Andrade; 6 – Júnior; 14 – Dequinha.

Ataque – diâmetro 57mm, altura 6mm, bainha 15º: 7 – Joel; 8 – Dida; 9 – Rubens; 10 – Zico; 11 – Zagallo; 16 – Zizinho; 17 – Leônidas da Silva; 18 – Pirilo; 19 – Nunes.

Ataque leve – diâmetro 55mm, altura 5mm, bainha 15º: 15 – Adílio; 20 – Evaristo; 21 – Doval; 22 – Henrique.

O 13 e o 23 estão reservados para Mozer e Juan, respectivamente, quando forem feitos os becões, com 8mm de altura.

E ainda existem 2 vagas para atacantes leves, os números 24 e 25. Aceito sugestões aí nos comentários. Só adianto algumas coisas. É preciso que os eleitos tenham honrado o Manto Sagrado e NUNCA se voltado contra ele. Não significa que não possam ter jogado contra, mas que nunca o tenham traído. Daí que Romário, Bebeto e Renato Gaúcho, por exemplo, não entram nesse time.

Possíveis nomes para vestirem as camisas são Cláudio Adão e Geraldo, mas aceito sugestões.

Montando times de vidrilha

30 de junho de 2009


Brasiliense, Gama, Legião e Flamengo RJ – Clique para ampliar

Finalmente estou montando meus primeiros times de lente. Nunca tinha jogado com esse tipo de botão antes, mas depois de ver times lindíssimos e a incrível coleção do Léo, da BFA, me animei a experimentar, nem que seja apenas para coleção. Primeiro comprei 3 times prontos com o Vitor e agora me aventurei a produzir meus primeiros times.

Nessa primeira leva, fiz um Gama, com o mesmo escudo do Periquito que usava para dadinho; um Brasiliense, com um escudo que tinha feito para um amigo, mas que acabou não sendo produzido em acrílico; um Legião, com uma escudo que iria utilizar em um time meu em acrílico; e um Manto Sagrado, com o mesmo escudo do meu atual time para dadinho. Ainda tenho lentes para mais um, que provavelmente será o CEUB feito pelo Marcos VP

Segue um rápido tutorial para a montagem dos times:

1. Compre lentes novas para botões. As minhas comprei com o Sérgio, no Mercado Livre. Dizem que as do Parruda (11 – 3915-4981) também são muito boas.

2. Crie os escudos em um editor gráfico. Se não tiver este dom, ou não tiver tempo, pode usar um dos escudos do Marcos VP, por exemplo, ou de outros tantos artistas talentosos que estão disponibilizando seu trabalho de graça na internet. No próprio site do Marcos, tem uma lista bem completa de outros sites de escudos. Outros artistas, como o Vitor, estão vendendo os escudos já impressos e recortados, prontos para a aplicação nos botões.

3. Configure o tamanho da página no editor, para um dos tamanhos das fotos do seu cinefoto preferido e exporte para um JPEG em 300dpi. Leve ao cinefoto e pessa para imprimirem a “foto” em papel brilhante e com o parâmetro “no resize”, importantíssimo para não mudarem o tamanho ou distorcerem os escudos.

4. Cole o lado impresso dos escudos sobre a fita dupla-face acrílica da Adelbrás. – Use a de 48mm de largura, que é mais larga que o escudo, não necessitando de emendas. O código dela na Adelbrás é 0639000022. – Na hora de colar os escudos, sugiro cortar cada um separadamente em quadrados e depois colar um por um, com cuidado para não formar bolhas. Depois recorte os escudos por cima da fica, que é bem transparente, mesmo antes de tirar o papel protetor.

3. (método aposentado, mas ainda usável) Imprima invertido (espelhado) em papel adesivo transparente, para que possa ser colado atrás da lente. Estou usando hoje o KelPex, que acho que adere melhor no plástico, mas você pode experimentar qualquer transparência adesiva para impressoras a jato de tinta.

4. (método aposentado, mas ainda usável) Cole papel adesivo branco por cima do transparente, para servir de fundo, e depois recorte os escudos.

5. Cole o conjunto adesivo por trás da lente. Sugestão, descole apenas uma ponta do papel protetor do adesivo e dobre; centralize o escudo no botão; prenda (cole) a parte que está sem o papel de proteção; depois retire o resto de papel de proteção e cole o resto do escudo.

6. Depois de colar o escudo na vidrilha, a colagem não fica perfeita, sendo vistas “estrias” por todo o escudo. Com a unha mesmo, esfregue o escudo, do centro para fora, cobrindo toda a extensão, até que todas as marcas tenham sumido.

7. Pinte a parte de trás do botão com tinta acrílica fosca na cor que deseja que fique o resto do botão que não está coberto pelo adesivo. É importante a tinta ser fosca, para que um botão não grude no outro depois de seca.

8. Para a pintura, primeiro dilua a tinta acrílica em água. O ponto corredo da diluição é meio subjetivo e cada um vai achar o seu preferido depois de algumas tentativas. Eu misturo com o cabo de um pincel, até que a tinta goteje da ponta sem dificuldade, mas também não escorra muito fácil.

9. Agora despeje uma quantidade de tinta sobre a parte de baixo do botão e vá girando o botão até que a tinta cubra tota a área dos escudo e da borda. Dica: primeiro cubra todo o escudo e só depois passe para a borda. Se deixar o escudo para depois, como a tinta escorre com mais dificultade sobre o papel, você terá maio dificuldade para cobrir o escudo.

10. Eu estou usando uma seringa para despejar a tinta, o que facilitou um bocado o trabalho e a dosagem da tinta. Dica: 0,8ml ficaram ideais para a diluição que eu fiz, conforme explicado acima.

11. Depois de coberto todo o botão com a tinta, você vai ter a impressão de que ela ficou em excesso, mas depois que secar, o que vai demorar um pouco mais que o normal, ela retrai e o botão fica com uma cobertura impecável, parecendo pintado industrialmente.

12. Caso se formem bolhas na tinta, fure uma a um com uma agulha ou um palito de dente. Dica: com a ponta limpa do palito, as bolhas estouram mais facilmente.

Obs.: Não me dou muito bem com tinta, então estou pensando em experimentar também os escudos do tamanho da lente, sem a pintura. O Pedro Luiz, da comunidade Futebol de Botão tem alguns exemplos de botões assim. Gostei ;-)

Obs. 2: A turma da comunidade Futebol de Botão, sujere a impressão dos escudos a laser e a colagem com cola branca, levemente diluida. Os botões do Léo, por exemplo, são feitos assim, mas como também não me dou bem com cola (as primeiras experiências geraram mais sugeira do que resultados), resolvi usar a técnica do adesivo transparente, que já utilizo com sucesso nos goleiros.

Pegando a mão

8 de junho de 2009

Depois da estréia do novo Manto Sagrado, os resultados vão melhorando a cada torneio. Na última quinta-feira, um grande resultado na Quinta no Bola, com sete vitórias e apenas uma derrota na noite. Os gols estão começando a sair, apesar da média ainda estar inferior aos melhores resultados do Mengão 81.

No último sábado, dia 5 de junho, o Manto Sagrado participou do 2º Campeonato Brasiliense de Dadinho 9×3. Apesar do técnico não estar em seus melhores dias, a equipe acabou conquistando a 2ª colocação na competição, que lhe rendeu 8 preciosos pontos a serem acumulados ao resultado da 2ª etapa, a ser realizada em dezembro e que definirá o campeão brasiliense de 2009.

O grande nome da equipe tem sido o craque Leônidas da Silva, vestindo a camisa 17. O cara tem feito gol depois de gol, desbancando o grande Zico, que acabou ficando na reserva.

Falando “tecnicamente”, o pulo do gato para a equipe, que mudou consideravelmente o controle de bola, foi a nova e diferente cava que todos os botões receberam. Os botões lisos, sempre necessitam limpeza mais cuidadosa e polimento no ponto certo, para que os botões nem deslizem demais, nem agarrem na hora errada. Como eu estava acostumado com botões mais leves, ainda estava apanhando para achar o ponto certo do polimento e resolvi colocar em prática uma antiga idéia. Botões com 2 trilhos (área de atrito), separados por uma linha fina, e uma cava relativamente pequena e bem rasa no centro. Feito assim, para não deixar os botões muito leves, mas diminuir aquela agarrada inconveniente, justo na hora de preparar a bola para o chute.


Clique para ampliar

Se faz diferença mesmo, ou é apenas mais um mito como, pra mim, o furos nos botões cavados da regra brasileira ou da gaúcha ou as chuteiras dos botões da carioca, eu não sei, mas estou gostando muito ;-)

A volta do Manto Sagrado

8 de maio de 2009

E o Zamorim F.B. não é mais Zamorim F.B.. Depois da volta às mesas com grande sucesso, na quinta-feira do dia 30 de abril, resolvi que um time com grandes nomes como Alicate, Liso, Ligeirinho e outros, não tem a personalidade necessária para agradar ao técnico. Então o time foi convertido no belíssimo (opinião pessoal) novo Manto Sagrado! Uma seleção do Flamengo de todos os tempos, de Domingos da Guia a Zico. Por enquanto ainda com adesivos, a promessa da resina é pra logo, antes que o técnico mude de opinião novamente ;-)


Clique para ampliar

Um time que dá água na boca, com Dida, Zico, Leônidas, Rubens, Zizinho e Pirilo jogando juntos, não necessariamente ao mesmo tempo em campo. Tem ainda Júnior, Leandro, Domingos da Guia, Doval e mais um grande elenco de craques que já atuaram E HONRARAM o Manto Sagrado do Mengão. Coisa linda de se ver ;-)

Ah, sim, o Mengão 81 voltou para sua aposentadoria. Realmente já tá cansado, não dá mais.

Em campanhas muito irregulares, Mengão 81 e Zamorim F.B. têm feito o pior início de temporada de todos os tempos. Foram 2 oitavos lugares nas duas primeiras edições do Torneio Dadinho em 2009, disputados pelo Zamorim, e um inédido último lugar na terceira edição, disputada pelo Mengão 81. O Zamorim teve bons resultados nos primeiros testes pós volta, mas na hora do vamos-ver, nada. Depois voltou o Mengão 81 e depois de ótimos jogos nos primeiros torneios amistosos, mais fracassos. Finalmente, depois de uma excelente experiência na quinta do dia 30 de abril, o Zamorim F.B. voltou a ganhar o status de titular, definitivamente, até nova virada de mesa. Só que agora, como já disse, como Manto Sagrado, o retorno.

Bem, a estréia do novo uniforme foi catastrófica, mas também quase um sucesso absoluto. O novo visual e a personalidade dos craques agradou sobremaneira ao técnico. Só que a equipe sentiu o peso do Manto Sagrado do mais querido do mundo e não foi muito bem no primeiro torneio. Uma vitória por 1×0 no primeiro jogo contra o carrasco Botafogo, de Fernando, aparentava que a noite seria do rubro-negro, mas depois só fracassos, derrota atrás de derrota e mais nenhum gol marcado. Até antes do último jogo. Foi então que a equipe se reuniu e fez um pacto (o Mengão adora pactos) de que jogaria cada jogo como se fosse a final do mundial. Veio então um 3×0, contra o Manchester do Rogério, que deu novo ânimo à equipe. Em seguida foi disputado um mata-mata pra fechar a noite. No primeiro jogo, um 3×2 contra o Flamengo Genérico do Marcelo, de virada. Depois outro 3×2 contra a Argentina do Paulinho, também de virada, com gol nos últimos segundos. Pronto, para manter a esplêndida média de 3 gols por partida, desde a última rodada do primeiro torneio, bastaria encaçapar mais 3 na grande final e ir pro abraço. Só que na final estava o Motosserra do outro carrasco, o Romar. A equipe tremeu e mesmo contra um adversário que não estava acertando mais nada na noite, voltou a apresentar os sinais da irregularidade e perdeu por 1×0. Mas tudo bem, o recado foi dado. A equipe tem potencial!

Manto Sagrado

10 de julho de 2008

O Manto Sagrado foi um dos primeiros times que fiz pra mim. Foi montado em janeiro de 2007, para jogar na modalidade 3 toques, na AABB-DF. São 16 botões, todos com 58mm de diâmetro, 4mm de altura e bainha dupla com 2mm reta e o resto em 23º. O trilho (área de atrito), com chuteiras, tem 2,5mm.

Time lindo, modéstia à parte, que tem escalada a nata da nata de craques que já passaram pelo Mengão. É de dar água na boca! Pena que o técnico não corresponde à altura jogando 3 toques ;-) Também jogou o início da temporada de 2007 no Bola Quadrada, com dadinho e se saiu muito bem, vencendo o 1º Torneio Dadinho 2007.

Escalação: 1 Cantarele, 2 Leandro, 3 Domingos da Guia, 4 Mozer, 5 Rondinelli, 6 Júnior, 7 Joel, 8 Adilio, 9 Dida, 10 Zico, 11 Zagallo, 13 Andrade, 14 Dequinha, 15 Zizinho, 16 Leônidas da Silva, 17 Sílvio Pirilo e 18 Nunes.

Foi muito bacana a pesquisa por esta seleção. Muita ajuda da Wikipedia e da própria Flapedia, além do amigo Nilson, carioca das antigas. Muitas histórias bacanas do “futebol dos bons tempos”. Impagável!


Marcadores

1930 1934 1938 1942 1943 1944 1953 1954 1955 1958 1961 1962 1963 1966 1970 1974 1976 1980 1981 1982 1983 1987 2008 2009 Ajax Alemanha Argentina Argélia Arsenal Atlético Madrid Atlético Mineiro Atlético Paranaense Austrália Bahia Bangú Barcelona Bayern Boca Jr. Bola Quadrada Botafogo Botões Bragantino Brasil Brasiliense Brasiliense 2009 Brasília Camarões Campeões Brasileiros Campeões Candangos Campeões mundiais Campineira Ceará Ceilândia CEUB CFZ-DF CFZ/DF Chile Coenge Colo-Colo Colombo Copa 2010 Coritiba Coréia do Norte Coréia do Sul Cosmos Costa do Marfim Criciúma Cruzeiro Cruzeiro do Sul CSKA Defelê Dinamarca Equipes inesquecíveis Escudos Eslovária Eslovênia Espanha Esperança Estados Unidos F-Arte Fenerbahce Fiasco FIFA Figueirense Fiorentina Flamengo Fluminense França Futebol Gama Gana Goleiros Grécia Grêmio Grêmio Brasiliense Grêmio futmesa Guará Hertha Berlin Holanda Honduras Hungria Ibis Inglaterra Interestadual Internacional Internazionale Ipatinga Itália Japão Jogões Juventus Legião Libertadores Malutron Manto Sagrado Mengão 81 Mesas Milan México Nigéria Nova Zelândia Novorizontino Obina Palmeiras Paraguai Paraná Payssandu Periquito Piloto Pioneira Ponte Preta Portugal PSV Rabello Real Madrid River Plate Roma Sampaio Correa Santos Schalke 04 Seleção Seleção Brasileira Senta a Púa Serviço Gráfico Sobradinho Sporting Suíça São Caetano Sérvia Taguatinga Tiradentes Torneio Dadinho Torneio do Terraço Traves UEFA Uruguai Usinagem Valência Vasco vidrilha Vidrilhas Vila Nova Volta Redonda Werder Bremen Zamorim F.B. África do Sul

Parceiros

eXTReMe Tracker